Notícias

Até 2020 mais de 35 projetos científicos serão executados no Tocantins

26/07/2019 - Geórgya Laranjeira Corrêa


A Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins (Fapt), está desenvolvendo estratégias de inovação para o avanço científico tecnológico e econômico do Estado.Neste semestre foramretomados diversos projetos que estão sendo executados por pesquisadores deentidadespúblicas e privadas do Tocantins conveniadas com a Fapt.A previsão é que esses estudos sejam concluídos até 2020 com resultados concretos para a sociedade,os quais resultam da articulação da Fapt com o governo federal e da parceria permanente com instituições de fomento de ciência, tecnologia e inovação.

Várias ações estão em andamento, como aseleção de nove projetosque objetivam soluções para a gestão do SUS no Estado, cominvestimento em torno de R$ 300 mil e início deexecução paraagosto deste ano. Outra ação importante é o Convênio Estruturante,que é um projeto de pesquisas e de estruturação de laboratórios de apoio a cadeia de base rural.

Segundo o presidente da Fapt, Prof. Dr. Márcio Silveira, o semestre foi marcado pela reestruturação da fundação,com a constituição de equipe de trabalho eatendimentoàs demandas da comunidade científica. “O governo está empenhado em apoiar a Ciência e Tecnologia e Inovação como vetor de desenvolvimento do Estado. Neste aspecto será retomado editais estratégicos para os pesquisadores do Tocantins”, afirmou. Silveiraadiantou que estes editais serão lançados em agosto em um grande evento denominado Manhã de Ciência e Tecnologia. Além disso, anunciou a conclusão da obra do Laboratório de Referência Animal de Araguaína e a realização da Semana Nacional e Ciência e Tecnologia também para o próximo semestre.

Ações estratégicas da Fapt

PPSUS - Programa Pesquisa para o SUSestá sendo desenvolvido no Tocantins visando contribuir com o incremento científico e tecnológico em saúde a fim de solucionar problemas neste segmento. No Estado, oprogramaconta com 15 projetos, sendo seis em andamento do edital anterior no valor de R$ 300 mil. Para o novo edital, que terá início em agosto e que também conta com um investimento de R$ 300 mil, foram selecionados nove projetos de pesquisadores vinculados a três instituições como a Secretaria de Estado da Saúde (Ses/To), Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) e Universidade Federal do Tocantins (UFT).

BionorteSudam

É uma Rede de Biodiversidade e Biotecnologia da Amazônia Legal que tem o intuito de acelerar o desenvolvimento de projetos de pesquisa e inovação, com foco na biodiversidade e biotecnologia. No Tocantins foram selecionados dois projetos de pesquisadores do Estado os quais receberam um investimento de R$ 623 mil reais no qual já foi executado 90%.

Investimento em editais de pesquisa

No primeiro semestre de 2019, a Fapt em parceria com a Seagro selecionou cinco projetosde apicultura e meliponiculturade pesquisadores de três instituições de ensino:  Instituto Federal do Tocantins (IFTO), Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) e a Universidade Luterana (Ulbra).

Foram investidos R$ 17.655 para concessão de materiais e equipamentos de insumos para projetos de pesquisa.O objetivo é o fomento da pesquisa, do ensino e da extensão rural, com vistas ao desenvolvimento da atividade no Tocantins.A assinatura dos termos de outorgas e a entrega dos equipamentos serão entregues em agosto.

A Fapt preparou ainda quatro novos editais para lançamento em agosto: Bolsa Produtividade, Participação em Evento Científico, Tradução de Artigos que beneficiarão até 230 pesquisadores. O quarto edital é o deOrganização de eventos científicos que vai apoiar 30 eventos no Estado.

Convênio Estruturante

Desenvolvido em parceria com o Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) conta com um investimento total de R$ 11 milhões, na qual já está executado 80%. Contempla nove sub projetos realizados por cerca de 300 pesquisadores em diversas regiões estratégicas do Estado como: Palmas, Gurupi e Araguaína nas áreas de fitoterápicos, uso de afluentes, plantas medicinais, plantas do cerrado, agropecuária, resíduos orgânicos, agroenergia, aquicultura e construção do Laboratório Lara.

Laboratório de Referência Animal de Araguaína (Lara)

Segundo o Coordenador do projeto, Prof. Dr. Cláudio Fernandes, o laboratório é uma conquista para o setor agropecuário do Tocantins por trazer custo benefício na realização de 18 exames como: Exame de Brucelose, Raiva, Febre Aftosa, Mormo,Tuberculose, Diarreia Bovina a Vírus (BVD), Leptospirose, Anemia Infecciosas Equina, Toxoplasmose, Mastite, Realização de antibiogramas, Rinotraqueite Infecciosa Bovina (IBR) Leucose, Exame de Clostridioses, Artrite Encefalite Caprina a Vírus (CAEV), Maedi-Visna, Andrológico e bromatoógicos. Atualmente estes exames são feitos em outros Estados, o que encarece o produto e dificulta a logística. “O laboratório será o principal suporte para o setor agropecuário do Estado e região, além de atender as demandas da pesquisa”, explica.

 “O empreendimento recebeu um investimento de Rudo,9 milhão sendo R$ 1,2 milhão para a construção do laboratório e R$ 700 mil se encontram em caixa para a finalização da compra de equipamentos”, explica o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins, Prof. Dr. Márcio Silveira. Um recurso oriundo da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), com contrapartida do governo do Tocantins.