Notícias

Em 2020 Tocantins será contemplado com bolsas de pós-graduação em áreas estratégicas

26/11/2019 - Stefani Cavalcante / Com supervisão de Geórgya Laranjeira CorrêaCorrêa/ Governo do Tocantins

Com o objetivo de participar das discussões, articulações e execução do novo Programa de Desenvolvimento Estratégico da Pós-Graduação Brasileira, a ser implantando em 2020, o Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins (Fapt), Márcio Silveira participou de uma reunião com o presidente do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e com representante da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), nesta segunda-feira,25 em Brasília –DF.

A perspectiva é que os recursos sejam empenhados ainda em 2019 e os editais das Fundações de Amparo à Pesquisa dos Estados (Faps) sejam lançados no próximo ano.  Segundo o presidente da Fapt, Márcio Silveira, “a ideia é fortalecer os programas de pós-graduação em áreas estratégicas e discutir o modelo apresentado pela CAPES a fim de ajustar e adequar a realidade de cada Estado”, ressaltou.

Assinatura do Termo

A CAPES assinou nesta terça-feira, 26, protocolo de intenções com o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) para investir R$ 200 milhões, nos próximos quatro anos, em cursos de mestrado e doutorado estratégicos e de relevância para o desenvolvimento regional de acordo com as definições de cada estado.

Com o recurso, serão concedidas 1.800 bolsas de pós-graduação, a partir de março do próximo ano. Serão atendidos cursos considerados emergentes e em fase inicial de implantação, com notas 3 ou 4 na avaliação CAPES. 

Pelo documento, as duas instituições assumem o compromisso de atuar de maneira articulada para a definição de um programa no prazo máximo de dois meses. Além do aporte de recursos, a CAPES coordenará os trabalhos. Caberá ao Confap ajustar as ações a serem planejadas com os reitores, pró-reitores de pesquisa e pós-graduação, Fundações de Amparo à Pesquisa Estaduais e outros órgãos do Sistema Estadual de Pós-Graduação e do Sistema Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação.

A expectativa é de que as Fundações de Amparo à Pesquisa Estaduais atuem, em conjunto com a CAPES, na seleção das áreas estratégicas dos estados e dos cursos a serem apoiados, além de aportarem recursos de contrapartida – que podem variar de 20% a 50% – com custeio, capital ou bolsas.

 

Com informações de CCS/CAPES e da Ascom Fapeal