Notícias

Tocantins investiu mais de R$ 2 milhões em CT&I

30/12/2019 - Geórgya Laranjeira Corrêa - Governo do Tocantins

Com a missão de amparar a pesquisa científica nas diversas áreas do conhecimento, científico, tecnológico e de inovação (CT&I), o Governo do Estado por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins – (Fapt) tem trabalhado com a finalidade de contribuir com o desenvolvimento econômico, social e difusão da ciência. No segundo semestre de 2019, lançou novos editais voltados à comunidade científica dos quais serão finalizados em 2020. Retomou as ações do Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS), favoreceu o andamento dos projetos do Convênio Estruturante como a obra do Laboratório de Referência Animal de Araguaína (Lara), e fez entrega de computadores a pesquisadores.

Uma das ações de grande relevância social foi a retomada dos projetos que visam à solução de problemas de saúde pública do Estado, referente ao Edital 1/2018 do Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS) do Ministério da Saúde que no Tocantins tem como agente executor, a Fapt. Por meio da seleção realizada por comissão técnica, nove projetos de professores mestres e doutores foram aprovados e já estão em andamento, nas instituições os quais estão vinculados.

Para a execução dos trabalhos, serão investidos R$ 300 mil reais, oriundos do governo federal e estadual. Deste montante, já foram repassados em torno de R$ 195 mil reais aos pesquisadores com a finalidade de viabilizar os estudos da primeira fase. A previsão é que sejam concluídos em 24 meses juntamente com o restante do repasse financeiro.

Um dos projetos aprovados do PPSUS é o da pesquisadora e biomédica da Secretaria de Estado da Saúde (SES/TO), Jucimária Dantas Galvão, que está desenvolvendo um estudo para identificar casos de mulheres com maior probabilidade de desenvolver o câncer de colo do útero, por meio da realização de exames. “A intenção vai além da conscientização  sobre a importância do exame preventivo na periodicidade recomendada, mas estabelece um teste que identifique casos precocemente a fim de serem encaminhados ao acompanhamento especializado para diagnóstico, e ainda reduzir a incidência de câncer de colo do útero no Tocantins”, explicou a pesquisadora.

Investimento em tecnologia

A Fapt também tem dado andamento às ações de um convênio existente, denominado Estruturante que visa à estruturação de laboratórios de cunho científico do Estado. O convênio conta com apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e com  contrapartida do governo do Estado.

Em novembro de 2019, a Fapt retomou a obra do Laboratório de Referência Animal de Araguaína (Lara) por meio da Assinatura da Ordem de Serviço que favorece a conclusão do empreendimento que está previsto para julho de 2020. O objetivo é atender as demandas de pesquisa e dar apoio aos programas do governo com a realização de 18 exames e sorologias que possibilitarão custo benefício ao setor agropecuário do Tocantins, que atualmente depende de outros Estados para fazer os exames.

De acordo com o autor do estudo do laboratório, professor Dr da Unitins, Cláudio Clemente, o Lara, vai trazer um impacto tecnológico, científico e social ao Estado como a diminuição da prevalência de doenças transmissíveis nas populações animais e consequentemente do risco em populações humanas. O laboratório tem como público alvo, o produtor rural, o agropecuarista, as agroindústrias vinculadas à pecuária, a agricultura familiar, os centros de controle de zoonoses e as Vigilâncias Sanitárias e epidemiológicas Municipais. O laboratório custará aos cofres públicos, um montante de Rudo,9 milhão, sendo R$ 1,2 milhão para obra civil e R$ 700 mil para equipamentos. A obra está em fase de finalização e este semestre já foi designado um valor de R$ 563 mil reais para os últimos ajustes.

Outro benefício do convênio foi à entrega de computadores a pesquisadores para favorecer o andamento dos estudos em laboratórios de várias instituições do Estado. Um investimento de R$ 440 mil reais oriundos do governo federal e estadual.  “O fomento de recursos externos, em especial dos equipamentos de informática no nosso laboratório de Produtos Naturais possibilitará aos professores/pesquisadores melhores resultados em seus estudos e o engajamento de acadêmicos no ensino, o que torna um profissional mais apto para atuar na comunidade local”, disse a Profª. Mestre Miréia Bezerra, que atua na Universidade de Gurupi (Unirg). 

Eventos apoiados pela SNCT 2019

Todos os anos, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação, têm apoiado financeiramente a Semana Nacional Ciência e Tecnologia (SNCT) executada pelas instituições dos Estados. O Tocantins foi um dos contemplados em 2018. Desta forma o recurso de R$ 100 mil reais foi bem utilizado em 2019 no apoio a concretização de 13 eventos de cunho científico, o qual custeou materiais gráficos, combustível, passagens aéreas e diárias de palestrantes.

Prospecção para 2020

Com recurso próprio R$ 1,7 milhão, o Governo do Estado por meio da Fundação de Amparo a Pesquisa (Fapt), preparou e lançou quatro editais em novembro de 2019.  Os quais foram divididos da seguinte forma: R$ 1,2 milhão para o bolsa produtividade, R$ 300 mil para apoiar a participação em eventos científicos, R$ 150 mil para a organização de eventos científicos e mais R$ 45 mil para tradução de artigos científicos do português para o inglês.  As inscrições estão abertas até dia 30/01/2020 e após a aprovação dos selecionados os recursos serão disponibilizados.

Outra ação de suma importância é a articulação em prol da concretização do projeto “Tocantins Sustentável” que visa a Geração de Energia Solar nos prédios públicos, a fim de reduzir o custo de R$ 50 milhões por ano de energia elétrica. Outro projeto em andamento é o Sistema para gestão integrada dos resíduos urbanos que objetiva implantar um Complexo Industrial para Tratamento e industrialização integral de resíduos sólidos a fim de reduzir o lixo das cidades. A intenção é implantar na capital e no interior.

Atração e fomento para CT&I

A Fapt também tem fomentado junto a parlamentares estaduais e federais, recursos para CT&I. Com o apoio da Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto), recentemente o deputado estadual, Professor Júnior Geo (Pros/To) disponibilizou uma verba parlamentar de R$ 740 mil reais ao Instituto Federal do Tocantins (IFTO) e Universidade Federal do Tocantins (UFT) para qualificar professores e  a compra de equipamentos tecnológicos.

Outra articulação de política pública são as tratativas para criação do Parque Tecnológico que está sendo feito em parceria com o reitor da Unitins, Augusto Rezende, com o Deputado Estadual, Ricardo Ayres, atual presidente da Frente Parlamentar de C & T e Inovação do Tocantins e o líder do governo na Câmara dos deputados Federais, o Presidente da Frente Parlamentar Mista de Apoio aos Parques Tecnológicos, Deputado Federal, Vitor Hugo (PSL - Go).

O Parque Tecnólogico é um projeto do Governo que recentemente instituiu um grupo de trabalho para implantação do mesmo, a fim de estudar e propor matérias para a elaboração de documentos e normas para execução do projeto. O grupo será composto por representantes de vários órgãos estaduais, tendo como coordenador, um representante da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins (Fapt).

“A Fundação cumpriu o seu papel no amparo aos atores da ciência e tecnologia que são os pesquisadores do Tocantins que possuem alta qualificação e preparo para o desenvolvimento cientifico tecnológico e de inovação do Estado. Dos quais vão contribuir com o desenvolvimento do Parque Tecnológico para viabilizar novas tecnologias ao setor produtivo. Desta forma o desafio de 2020 é a busca de recursos financeiros e parcerias potenciais a fim de atrair empresas e gerar empregos”, explicou o Presidente da Fapt, Márcio Silveira.